O Nascimento

O Nascimento


“A SOS ESPERANÇA, vai mudar o Mundo”.

Desde muito nova, percebi que tinha uma consciência diferente, mas só mais tarde é que cheguei ao meu sonho, a vontade de mudar o Mundo.

Durante 16 anos pertenci a uma Instituição de Acolhimento Residencial para Crianças, como Família de Acolhimento.
Com esta Associação, “mudamos o nosso mundo”, mas não o meu sonho e não o mundo.

Há 7 anos e com base no meu conhecimento intrínseco e na minha experiência pessoal e profissional, organizei o meu movimento pessoal, levar o Apoio Emocional gratuitamente àqueles que mais precisavam da minha ajuda ou que vinham até mim.

Apoiei nestes últimos anos centenas de pessoas, fui às suas casas, a lares e a hospitais, mas percebi que sozinha não conseguiria chegar mais longe.

Com a especial ajuda do meu marido, que sempre me apoiou e com base na sua bagagem profissional acumulada e com a junção de alguns amigos, que sempre estiveram ao meu lado, finalmente o sonho aconteceu: o nascimento da SOS ESPERANÇA.

Precisamos da vossa ajuda! Voluntários, Associados e Donativos, para que todos juntos possamos levar Esperança, a casa de quem mais precisa.

Vamos todos juntos, mudar o Mundo!

Estamos por Amor e Tu?

Abraço apertadinho

Margarida Silva

Depoimentos

O meu nome é Paulo Sousa, tenho 41 anos e estou aqui para vos contar um pouco da minha luta que começou aos 30 anos.

Desde essa altura, comecei por dar entradas nos hospitais no qual nunca me descobriram a doença que eu na realidade padecia. Motivado por este facto dei várias vezes entrada nos referidos hospitais com princípios de AVC, ataques cardíacos, enfartes, inchaço de pernas e corpo e feridas graves nas pernas.

Como eu era um homem que pesava cerca de 120 quilos e cada vez o peso aumentava de dia para dia, cheguei quase aos 150 quilos. Passado 3 anos deste sofrimento e incertezas, dei entrada mais uma vez no hospital de Valongo com 42,5 de febre onde me foi diagnosticado uma infeção na garganta. Depois de estar a soro e e a sentir-me cada vez pior, mandaram-me embora com uma receita de antibióticos para a infeção na garganta.

Neste mesmo dia á noite dei novamente entrada no hospital de S. João, com 42, 5 de febre onde tive a sorte e Deus do meu lado que colocou no meu caminho um médico que se interessou pelos meus relatos e investigou o que realmente se passava comigo. Nessa mesma noite, fiquei 7 dias nos cuidados intensivos.

Foi ai que me diagnosticaram uma doença rara, Síndrome Nefrálgico que afetou os meus rins.

Como o hospital Santo António pertencia à minha área de residência tive que ser transferido, onde fiquei ai internado cerca de 1 mês.

Comecei por ser seguido em nefrologia e com base na medicação, aguentei um ano sem fazer a diálise. Infelizmente fiz vários exames em 13 especialidades diferentes e numa delas detetaram pólipos com 40 mm nos intestinos.

Para entrar na lista de transplantes tive de fazer um bypass gástrico para perder peso. Fiz operação no dia 19 e vim para casa no dia 24.

Dia 26 durante a noite não me sentia bem, comecei a vomitar sangue e fui imediatamente para o hospital. Na noite a seguir aconteceu me o mesmo.

Fui sujeito a uma operação ao estômago e entrei em coma.

Agora a minha mulher, Vitaliana Silva, irá contar o seu sofrimento e este autentico pesadelo.

Quando o meu marido entrou em coma os médicos não lhe davam mais que alguns minutos de vida. Fui vê-lo e nem queria acreditar no que estava a acontecer.

Disseram-me que ele tinha entrado em coma porque lhe tinham furado o baço ao tentar remover um obsesso de sangue.

A partir desse dia a minha vida desmoronou.

Senti-me tão sozinha e aflita que decidi ligar a uma amiga e ela disse-me que conhecia a pessoa indicada para me ajudar.

 

Foi então que conheci a Doutora Margarida. Aceitou ajudar-me.

Sempre que eu precisava ligava para a Doutora, ela falava comigo pelo telefone e ajudava-me “a trazer o meu marido” para perto de mim e meu filho.

 

Ele esteve em coma 64 dias, mas sempre tive a ajuda e o apoio da Doutora Margarida.

Após 64 dias ele acordou do coma e os médicos não queriam acreditar, foi um milagre.

Mas eu sempre acreditei, graças á Doutora Margarida pela energia que me transmitiu, pelo amor que nos deu.

Mais tarde e já em casa o meu marido conheceu finalmente, a Doutora Margarida.

Obrigada Doutora Margarida, pela ajuda que nos deu e continua a dar à nossa família, não teríamos conseguido sem si.

Este é um pequeno resumo da vida e do sofrimento que eu passei com a minha família, mas na graça a Deus, pude sempre contar com a Doutora Margarida, que além de tudo é uma grande amiga.

Obrigada Doutora Margarida, nunca mais a esqueceremos.

Vitaliana Silva e Paulo Sousa

Faz quatro anos que conheci a Dra. Margarida.
Um exemplo de pessoa, sempre pronta a ajudar as pessoas que a procuram.

Quando a conheci, tinha sido diagnosticado um cancro ao meu marido, já no nível quatro. Fiquei sem chão, duas filhas uma de dois anos e meio e outra de catorze anos.

Sem forças e completamente perdida recorri à Dra. Margarida, um exemplo de pessoa, foi como se tivesse visto a nossa senhora de Fátima, em pessoa, ali na minha frente.

Depois de desabafar com o meu problema, decidiu logo em me ajudar.
Nunca mais esqueci daquele dia, as suas palavras pareciam mágicas, transmitiram-me tanta força, que depois daquele dia tornei-me numa pessoa diferente, pronta para travar aquela e muito difícil batalha, mas ao mesmo tempo, tornava-se mais amena. ~
A Dra. Margarida nunca me abandonou, estando sempre comigo.
Nunca me enganou, sempre disse a verdade e preparou-me para o dia final de toda aquela batalha, que acabei por perder.

Perguntei, Dra. Margarida porquê a mim?
Depois de tanta luta e acabei por perder.
A Dra. Margarida abraçou-me e disse, nunca percas a esperança minha querida e lembra-te que Deus dá as batalhas aos seus melhores guerreiros e tu não perdes-te, pelo contrário ganhas-te uma nova vida onde ele está aí sempre olhar por ti e pelas tuas filhas.
Quando perderes as forças agarra-te à vida, a tua força é a tua esperança.

Desde que a Dra. Margarida entrou na minha vida, transformei-me numa nova pessoa, consegui fazer o luto e comecei a acreditar mais em mim.
Tirei o curso que sempre quis, arranjei trabalho a cuidar de pessoas em fase terminal e outras em recuperação.
A Dra. Margarida ainda me disse, a Susana vai vencer na vida e vai ter forças para refazer a sua vida. Assim foi, tenho uma pessoa ao meu lado espetacular e tão lutadora quanto eu, que me faz muito feliz.

O mundo precisa de pessoas como a Dra. Margarida.

Obrigada, pela pessoa que é.
Obrigada, pela pessoa que me fez ser.

Estará sempre sempre no meu pensamento e no meu coração.
As suas palavras nunca serão esquecidas.

Um abraço e um beijinho.
Susana Soares

Conheci a Margarida através de uma amiga.
Na altura, estava muito doente.

Tenho dois cancros no sangue: mieloma múltiplo e leucemia de plasmócitos. Após três autos transplantes de medula, e com as quimioterapias associadas, estava um farrapo humano.
Sem forças físicas e anímicas, o meu percurso era entre internamentos hospitalares, e o lar, onde permanecia quase sempre na cama.

A Margarida foi uma lufada de ar fresco, de energia, de positividade, de luz, que me aconteceu.
Visitava-me no lar, conversava comigo, dando-me alento, reprogramando as minhas energias, ensinando-me a respirar, a meditar, a ter Fé e Esperança,
Assim foi durante alguns meses. A nossa relação pessoal foi-se consolidando, no respeito mútuo, na admiração pelo seu trabalho e entrega pessoal, no carinho e na amizade…

Após os tratamentos de quimioterapia e auto transplantes, os médicos estão admirados por eu estar viva.
Não era para estar… Tem-me dito várias vezes.
Como pessoa de Fé que sou, se estou viva é porque Deus, e o meu Mestre Jesus, assim o querem.
Mas é claro que não tenho dúvidas, que todo o trabalho e empenho da Margarida me ajudaram e fizeram toda a diferença.
Com a Margarida consegui ultrapassar todas dificuldades, a compreender e aceitar.

O Pit bull e o Rottweiler continuam no meu sangue, mas estou viva e sinto-me feliz.
Hoje estou em minha casa, agradeço à Margarida.
Quando as coisas se complicam, ela esta aí, a Margarida, sempre presente.

Obrigada por tudo, Margarida.
Um grande Bem-haja.

Manuela Barbosa